Hoje perspectiva psicossomática é necessário, com o seu paradigma bio-psico-sócio-eco-espiritual que chega a considerar a liberdade do paciente como um fator importante na cura ou doente de cada pessoa.

Pode-se dizer que é um Psychosomatic Medicine emergente na Atenção Básica, Medicina Interna e especialidades em psiquiatria e psicologia consultas clínicas. Esse é o elenco plural que está integrado no Europeu, espanhol e andaluz Society of Psychosomatic Medicine. E precisamente a mesma tendência reflecte-se na Universidade de Sevilha em que os cursos foram ensinados Psychosomatic para centenas de estudantes nos últimos dez anos.

Dirigindo-se a depressão, ansiedade, transtorno alimentar ou dormir, doenças cardiovasculares ou digestivos, doenças crônicas e muitas outras doenças é mais eficaz, menos dispendioso e aliviando o paciente psicossomático sofrendo sofre quando Não detectado em sua identidade, entendida em sua dor e tratada de forma eficaz.

Cuesta certamente ouvir o paciente, para inspirar confiança e mostrar interesse ou afeto que merece por ser uma pessoa que sofre. Cuesta, mas necessário. Só então saberemos a demanda real por ele vai para a consulta e não só expressa a demanda.

Quando a experiência é acompanhada por uma preparação profissional adequada entende-se que na maioria dos nossos pacientes, cabe a nós resolver papel fundamental e entender não só as demandas que o paciente vive dentro de si mesmo, mas como você vive. Dessa forma, podemos eliminar os temores de que sua mente, mas seu coração porto. E não há dúvida de que é o espírito de ajuda e amoroso, tão típico da arte de curar, que captura o conhecimento ea experiência feed-back aprendizagem serviço acumular e grandeza pessoal.

Só então vamos voltar para a Medicina próximos e queridos e nós conhecemos essa necessidade, sem dúvida, das contribuições que os progressos científicos e técnicos alcançados e disponibilizados para médicos e pacientes.

O que e´Psicossomática.

A psicossomática é uma ciência interdisciplinar que gera diversas especialidades da medicina e da psicologia para estudar os efeitos de fatores sociais e psicológicos sobre processos orgânicos do corpo e sobre o bem-estar das pessoas. O termo também pode ser compreendido, tal como descreve Mello Filho, como "uma ideologia sobre a saúde, o adoecer e sobre as práticas de saúde, é um campo de pesquisas sobre estes fatos e, ao mesmo tempo, uma prática, a prática de uma medicina integral".

A palavra psicossomática, na visão dos profissionais de saúde que compreendem o ser humano de forma integral, não pode ser compreendida como um adjetivo para alguns tipos de sintomas, pois tanto a medicina quanto a psicologia estão percebendo que não existe separação ideal entre mente e corpo que transitam nos contextos sociais, familiares, profissionais e relacionais. Então, psicossomática é uma palavra substantiva que pode ser empregada para qualquer tipo de sintoma, seja ele físico, emocional, psíquico, profissional, relacional, comportamental, social ou familiar. No entanto, autores de suma importância na história e contribuição ao conhecimento científico em psicossomática relacionais, como George Libman Engel da University of Rochester School of Medicine a do Instituto Psicanalítico de Chicago sustentam que a palavra psicossomática deve ser empregada como um adjetivo, pois ela qualifica uma ação, uma postura e abordagem bio-psico-social ao processo saúde-doença. Importante assinalar que o Introductory Statement do primeiro número do Periódico Psychosomatic Medicine (1939), que é considerado o marco fundante da psicossomática, assinala que são os objetivos da psicossomática: estudar a inter-relação dos aspectos psicológicos com todas as funções terapêuticas e integrar as terapêuticas somáticas e psicológicas.

© 2009 Conselho Nacional de Saúde Mental

  • Flickr ícone social
  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • YouTube Social  Icon